hotel Gay-Friendly

O público LGBT movimenta cerca de três trilhões de dólares anualmente em todo o mundo. O chamado Pink Money (dinheiro rosa) chama atenção dos empresários do ramo do turismo, afinal de contas, os casais homoafetivos possuem uma média de renda duas vezes maior que a dos casais heterossexuais e eles chegam a gastar 30% a mais em suas viagens. E como escolher um hotel gay-friendly?

Quando for procurar um hotel é preciso sempre tomar cuidado com os hotéis fakes gay-friendly. Pergunte a um casal de amigos se algum dia já se decepcionaram com o tratamento oferecido no local. Com certeza a resposta será sim. Para atrair o público muitos hotéis se intitulam receptivos ao público LGBT.

Leia também

Alguns pequenos detalhes podem nos dizer se aquele hotel é de fato gay-friendly, como chinelos e roupões sempre em tamanhos masculinos e femininos dentro dos quartos, ou quando o casal chega e o atendente pergunta insistentemente se é uma cama de casal mesmo. Pode parecer besteira, mas isso é fundamental para o casal se sentir à vontade.

Para detectar se o hotel é gay-friendly há uma maneira bem fácil, basta pesquisar se tem a chancela da IGLTA (internacionalmente) ou da ABGLT (nacionalmente). Mas não se pode confiar somente nisso.

Procure sempre no site da rede hoteleira que deseja ficar se eles oferecem dicas de turismo gay atualizadas, ou oferecem serviços especiais nos casos de casamentos e lua de mel.

Alguns sites trazem um serviço exclusivo dedicado ao público LGBT, onde ele pode entender melhor as experiências que encontrará nos hotéis pertencentes ao selo.

Dá próxima vez que for se hospedar em algum lugar, vale a pena saber as políticas da empresa e se eles estão preparados para te atender. Diga não as empresas fakes, aquelas que só estão interessadas em seu Pink Money.